As Habilidades dos Profissionais de E-commerce

 

Foi em março de 1989 que Tim Berners-Lee, num laboratório universitário na Califórnia, fez pela primeira vez dois computadores se comunicarem usando o protocolo HTTP na internet. Nascia a Internet. A Revolução Digital desde então, mudou a forma como as pessoas se comunicam, se relacionam, estudam, se divertem ou trabalham. As empresas que conseguiram surfar a Onda Digital, se tornaram líderes em seus segmentos.

 

O mercado de trabalho está enlouquecido atrás de profissionais para ocuparem cargos e usarem ferramentas que não existiam até há alguns anos. Termos que antes não existiam agora viraram cargos nas empresas: SEO, Dashboards, Big Data, UX, E-commerce, Analytics, Social Media, entre tantos outros.

 

As habilidades necessárias para trabalhar na área passam pelo conhecimento técnico de ferramentais, estratégias, planejamento e visão da jornada do consumidor. As faculdades, com seus conteúdos programáticos engessados, não conseguem acompanhar as constantes mudanças desse setor. Nesse cenário, a ComSchool se tornou a maior escola no Brasil sobre os temas de Marketing Digital, E-commerce e Redes Sociais, formando mais de oito mil alunos por ano.

 

O problema de falta de profissionais impacta diretamente as empresas, pois conforme aumenta a competição no mercado, a necessidade de criar e gerir sua presença digital, aumenta proporcionalmente. Olhando do ponto de vista do setor de e-commerce, a demanda por profissionais é ainda mais complexa, uma vez que esse tipo de profissional necessita uma visão mais ampla de operações e não somente de algumas ferramentas.

 

Um levantamento feito pela ComSchool nos principais sites de empregos do Brasil, mostrou que há mais de duas mil vagas abertas para Analistas de E-commerce.

 

Quais são as habilidades necessárias aos profissionais de e-commerce? Veja abaixo uma lista criada a partir de conversas com vários profissionais de ecommerce no Brasil:

 

  • Design, User Experience (UX): o profissional de ecommerce deve conhecer princípios básicos de design de sites e usabilidade. Manter as pessoas mais tempo na loja virtual, facilitar a finalização da compra, eliminando etapas desnecessárias, orientar bem seus webdesigners na criação de banners, destacar ofertas e trabalhar imagens de produtos, são alguns aspectos do conhecimento necessário nesse ponto.
  • Tecnologia: o profissional de ecommerce deve entender as ferramentas de tecnologia disponíveis no mercado e saber usá-las de acordo com as necessidades e verba disponível na empresa. Conversar com a área de TI de forma consciente, sabendo demandar corretamente as tarefas, compreender as limitações de sua plataforma e agir para contorná-las de forma criativa, é fator crítico de sucesso e desempate com os concorrentes.
  • Finanças: O profissional de e-commerce deve ter a seu favor ferramentas que o auxiliem na redução do chargeback. Além disso, a concorrência por preço é muito mais acirrada na Internet do que no mundo varejo físico. É o profissional de e-commerce que irá fazer ginásticas financeiras com sua área de compras e faturamento, para poder brigar de igual para igual no preço e condições de pagamento, sem perder margem.
  • Logística e Estoques: cada pedido feito na loja virtual, depois de aprovado pelo financeiro, deve ser rapidamente despachado para não causar frustração no cliente. É nesse ponto que surge a importância de se oferecer qualidade nos serviços prestados pela loja. Se é difícil se diferenciar nos preços, que a briga seja na operação. Lojas virtuais que oferecem uma experiência de compra diferenciada ganham mais mercado a cada dia. O profissional de e-commerce tem que saber trabalhar bem seus estoques e a expedição de seus pedidos, incluindo a logística reversa, quando for necessária.
  • Marketing, Mídia e Vendas: planejar, aprovar campanhas, criar demandas e prever as necessidades dos seus clientes. Em cada comunicação feita com seu público-alvo deve haver a chamada para ação, o “call-to-action”. Rentabilizar cada ação da mídia, medir resultados, interagir com agência e criar estratégias, são algumas das atribuições dessa habilidade.
  • Atendimento 3.0: o profissional de e-commerce deve estar atento ao que é falado sobre sua loja virtual nas mídias sociais. Tem que estar alinhado com o atendimento ao cliente para comunicar sobre campanhas em andamento, políticas de trocas e devolução, perguntas frequentes e princípios de crises de imagem.
  • Tendências e Comportamento: novidades surgem na Internet com grande velocidade. Identificar tendências, estar por dentro das últimas notícias, sobre o que as pessoas estão falando e onde estão falando. O profissional de e-commerce tem que estar preparado para ver a onda antes que ela chegue.
  • Estratégias: novidades surgem na Internet com grande velocidade. Identificar tendências, estar por dentro das últimas notícias, sobre o que as pessoas estão falando e onde estão falando. O profissional de e-commerce tem que estar preparado para ver a onda antes que ela chegue.
  • Analítico: dentre as tarefas mais complexas, está a de criar relatórios, definir metas, interpretar dados de diversas fontes e tabular em gráficos para serem apresentados à diretoria de forma clara e convincente.

 

Todas as habilidades descritas acima são capazes de serem desenvolvidas nos profissionais. Basta que haja investimento na capacitação. Eventos e cursos fazem parte de um primeiro passo. Além disso, é importante identificar pessoas que já estejam enquadradas em parte delas, para que o tempo de preparação seja menor.

 

Conheça todos os Cursos de E-commerce da ComSchool, os únicos no Brasil com Certificados em E-commerce reconhecidos pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, ABComm.