top of page

Estudo sobre Logística no E-commerce Brasileiro

A Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) divulgou a segunda onda da pesquisa Logística no E-commerce Brasileiro. O estudo foi criado em 2013 pela ABComm, em parceria com a Brazil Panels e ComSchool, para mapear os aspectos e dificuldades das lojas virtuais brasileiras no que diz respeito a logística. Essa fatia do levantamento indagou mais de 13 mil empreendimentos online, cobrindo os pontos: armazenagem, transportes e manuseio.

Segundo a pesquisa, o número de lojas online brasileiras que possui armazenagem própria de seus negócios aumentou nos últimos dois anos, saltando de 82% em 2013 para 89.6% em 2015. A maioria das lojas (74.2%) afirmou não usar estoques consignados (drop shipping), com 19.8% disponibilizando parte do catálogo dessa forma e apenas 6% oferecendo todo o catálogo via drop shipping.

No que concerne aos custos, o frete ainda aprece como o principal gasto das lojas, elencado como o princiapl por 62.6% dos entrevistados, à frente de armazenagem (19.9%) e manuseio (17.5%). Ainda que os Correios apareceram como a principal forma de transporte, com 73.1% da preferência, essa popularidade vem caindo, já que, em 2013, o percentual era de 81.%.

Referente à avaliação do serviço prestado pelos Correios, quase metade (44.8%) dos respondentes aponta como “razoável”. Apenas 3.5% acredita que o serviço dos Correios é “ótimo”, enquanto 27.8% enxergam como bom, e as opiniões negativas se dividem em “ruim” (16.2%) e “péssimo” (7.7%). As principais reclamações incluem o atraso nas entregas (71.8%), extravios (47.9%) e demora nas tratativas (41.5%).

Dentre as transportadoras, Brasspress (71.8%), Jadlog (13.5%) e Jamef (11.%) foram as mais citadas pelos empreendedores. No sentido contrário, surgem Atlas (2%) e Reunidas/Andorinha (1.3% cada).

Tendência no mundo inteiro, a internacionalização das vendas (envio para outros países) ainda não é algo comum para os lojistas brasileiros, com apenas 15.8% revelando fazê-lo, ante 84.2% que não o fazem.

Por fim, o estudo questionou quais são as datas mais importantes para os lojistas. O Natal ocupa a primeira posição da lista, mencionado por 166 empreendedores, à frente de Black Friday (147), Dia das Mães (132) e Dia dos Namorados (126).

Os principais pontos do estudo são:

  1. Redução nas lojas virtuais dependentes dos Correios

  2. Aumento no uso de armazenagem própria

  3. Um quarto das lojas virtuais está insatisfeito com os Correios

  4. As lojas virtuais estão optando em usar drop shipping

  5. Há lojas virtuais vendendo para consumidores internacionais

  6. Os custos de frete estão ainda mais problemáticos.

Você já pode baixar a íntegra do Estudo sobre Logística no E-commerce Brasileiro.

תגובות


bottom of page