top of page

10 Dicas para Otimizar o Cadastro de Produtos do seu Ecommerce

Atualizado: 27 de out. de 2023

O produto é o atrativo principal de uma loja, seja ela virtual ou física. E mesmo que muitos lojistas saibam disso, acabam deixando em segundo plano o cadastro de produtos, trazendo poucas informações para o usuário que navega pelo seu site.

Além disso, esquecem da importância das fotos e especificações técnicas, dados essenciais para facilitar o entendimento do visitante sobre os itens que ele está buscando.

A falta de credibilidade das informações cadastradas sobre os produtos contribui com o índice de abandono de carrinho, ou abandono do site. De acordo com o meta-estudo Barilliance, atualizado em 2020, e que reúne centenas de pesquisas desde 2006, a taxa média global de abandono de carrinho nas lojas virtuais é de cerca de 77,73%.

O cadastro de produtos é composto de um conjunto de informações que obedece a uma ordenação lógica, baseada nas palavras que os usuários costumam pesquisar nos buscadores. Entraremos em mais detalhes sobre a ordem das informações do cadastro no decorrer deste artigo.

Esse conjunto de informações normalmente consiste em título (nome) do produto, subtítulo (extensão do nome), descrição, dados técnicos e fotos. É recomendável incluir benefícios do produto, e avaliações de clientes que já compraram.

Cada um desses dados precisa atender plenamente aos visitantes do site e, ao mesmo tempo, ser amigável aos buscadores (SEO). Esse é o grande desafio para os responsáveis pelos cadastros de produtos na loja virtual.

Ao dar início a um e-commerce, geralmente o próprio lojista começa a cadastrar os produtos manualmente, com objetivo de testar e validar o seu projeto de loja virtual.

Entretanto, com o crescimento das vendas e ampliação das categorias de produtos, se faz necessário mais agilidade no processo de cadastramento, que passa a operar com sistema de planilhas de dados, adicionadas em lotes à plataforma de gerenciamento do E-commerce.

A partir dessa necessidade de agilizar o cadastramento, o lojista vai notar que precisará de uma equipe responsável pelo cadastro e atualização de produtos. Normalmente a equipe é enxuta e responsável por grande acúmulo de trabalho.

Com base nestas diferentes etapas de maturidade da loja virtual, existe essencialmente 3 formas diferentes de adicionar produtos à Plataforma Ecommerce:

  1. Cadastro Manual: quando é feito manualmente, direto no painel da loja.

  2. Cadastro Sincronizado: os produtos são cadastrados no ERP.

  3. Cadastro via Planilha .CSV: quando você deseja exportar informações de uma ferramenta e transferir para outra.

Aprenda as principais estratégias e táticas de sucesso usadas pelas Lojas Virtuais com o Curso de Gerentes de Ecommerce e Marketing Digital. Torne-se um Profissional E-commerce Certificado.

Vamos então as 10 dicas para um cadastro de produto eficiente e atrativo:

  1. Elabore um checklist para lembrar de preencher todos os campos em um mesmo padrão e ordem, isso vai deixar o processo mais rápido e preciso, bem como manter a coerência de preenchimento.

Exemplo de checklist para cadastro de produtos:

  1. categoria de produto

  2. nome e marca

  3. URL amigável de acordo com palavra-chave

  4. descrição do produto (modelos e cores)

  5. peso e dimensões

  6. opções de voltagem (se for o caso)

  7. especificações técnicas

  8. fotos de vários ângulos diferentes do produto

2. Utilize um título otimizado, pois o título serve para o posicionamento nos buscadores e para descrever brevemente a mercadoria. Um título adequado contribui positivamente com as métricas, reduzindo a taxa de rejeição ao site.

3. Ao elaborar uma descrição do produto procure por palavras-chave mais pesquisadas, relacionadas ao produto em questão, e seja o mais autêntico possível. Lembre-se de que o Google penaliza conteúdos que foram simplesmente duplicados.

4. Realize uma descrição detalhada do produto. Dados incompletos causam dificuldades na experiência dos usuários e, por consequência, nas suas vendas.

5. A ordem de escrita do nome do produto é um fator estratégico. Em caso de dúvida pesquise como os grandes Ecommerces e Marketplaces fazem: normalmente a ordem é o nome do produto, depois a categoria ou subcategoria, a marca, o modelo, e as informações complementares. A sequência dos itens do nome deve estar na ordem de acordo com o que os usuários pesquisam nos buscadores.

Exemplo de checklist para cadastro de produtos:

  1. Categoria de produto

  2. Nome e marca

  3. URL amigável de acordo com palavra-chave

  4. Descrição do produto (modelos e cores)

  5. Peso e dimensões

  6. Opções de voltagem (se for o caso)

  7. Especificações técnicas

  8. Fotos de vários ângulos diferentes do produto 6. Certifique-se de que as fotos são realmente do produto descrito e contam com um padrão de formato, tamanho, layout e estética. Prefira fotos do produto tiradas dentro de um contexto de uso do mesmo e que façam sentido para o usuário. Use fotos próprias ou cedidas pelo fabricante.

Além disso:

  1. Explore detalhes e ângulos diferentes do produto;

  2. Use fotos em alta resolução e com recurso de zoom, sem esquecer que as dimensões da imagem não podem ficar pesadas a ponto de interferir no tempo de carregamento da página, pois isso prejudicaria o desempenho da sua loja junto aos buscadores;

  3. Mostre o produto sendo usado, ajuda com a noção de proporção e dá mais realismo. Se possível contrate um modelo, ou seja, você mesmo o modelo para demonstrar seus produtos, caso precise explorar mais os detalhes.

  4. Você pode fazer seus próprios vídeos usando seu celular, ou utilize vídeos feitos pelos fabricantes, bem como reviews do produto, e conteúdo gerado por influenciadores, sobre o produto.

7. Quando o cadastro é sincronizado, todo o processo se torna mais rápido, mas também é necessário acompanhar e revisar. É preciso ficar atento a todos os dados, depois de importados, para garantir que não tenha ocorrido algum tipo de problema como, por exemplo, caracteres acentuados que passaram com erro, dados corrompidos que resultaram em cadastro incompleto, importação duplicada, e preço desatualizado.

8. Criar regras de automatização para acelerar a migração. Ou seja, garantir que na migração de uma plataforma para outra ambas tenham dados técnicos e descrição do produto nos mesmos respectivos campos.

Quanto à descrição de produto, para criar o conteúdo de um produto ou categoria é importante pensar em 2 indivíduos:

  1. usuário, ou seja, potencial cliente;

  2. rastreador do buscador (robô).

9. Para o potencial cliente é fundamental aplicar boas práticas de escrita para agregar valor e converter para venda. É preciso pensar nos argumentos que um bom vendedor usaria em caso de atendimento em uma loja física, pensar em como se diferenciar da concorrência. Seja objetivo, leve informação útil, de forma prática.

No que se refere ao buscador é importante usar boas práticas de otimização de SEO para posicionar bem nos resultados orgânicos. Especificações técnicas são essenciais: material, peças, dimensões, garantia etc.

Além dos dados técnicos, é importante focar na dor ou desejo do potencial cliente, o que levou o interessado a buscar esse produto e que fatores são determinantes na escolha. Use gatilhos que criam diferencial, por exemplo, informar que o produto é fácil de instalar, e apresentar instruções.

  1. Prefira sempre frases e parágrafos curtos, pensando na melhor leitura e adaptação ao mobile, lembre-se de que o tamanho do parágrafo dobra ao ser visualizado no smartphone ou tablet.

  2. Use negrito para destacar palavras ou ideias, pois ajuda na leitura dinâmica.

  3. Responda, na descrição do produto, dúvidas frequentes dos consumidores, que você pode encontrar até em sites de concorrentes, e nas FAQs.

  4. dicas de uso, por exemplo, essa geladeira é indicada para pessoas que moram sozinhas, pois é compacta e economiza mais energia.

  5. Explore os benefícios do produto, por exemplo, a tecnologia “X” mantém os produtos frescos por mais tempo.

  6. Usar as palavras-chave no texto e títulos é fundamental para o conteúdo ser localizado por buscadores, como o Google.

  7. Incluir links para outras páginas do site, desde que coerente com o texto âncora, pois precisa ser natural.

  8. Mantenha a formatação limpa, por exemplo, usar listagem, subtítulos, intertítulos, negritos. 10. A importância do tamanho do texto na descrição do produto é relativa, depende de alguns fatores: para o usuário, o tamanho do texto deve ser proporcional à quantidade de informações relevantes para sua decisão de compra; já para os buscadores é sempre recomendável dar uma olhada no conteúdo que está posicionado nos primeiros lugares dos resultados de busca em pesquisas pelo nome de cada produto.

Informações para SEO…

Os padrões para SEO diferem de plataforma para plataforma e algumas nem têm esses campos. Veremos a seguir alguns exemplos de campos que otimizam o SEO:

  1. Title da página: título que aparece na aba do navegador, é desse campo que o Google busca a informação para exibir o site nos resultados de pesquisa.

  2. Meta description: resumo que aparece nos resultados de busca logo abaixo à URL do site. Tenha meta descrições originais, pois consistem na melhor forma orgânica de captar um usuário.

  3. Palavra-chave: (Meta Tag Keyword) não funciona mais para SEO, mas pode ser importante para busca interna da plataforma, importante incluir sinônimos. É possível habilitar no Google Analytics para monitorar como as pessoas estão digitando as pesquisas. Isso ajuda na experiência do usuário.

  4. URL: endereço da página, personalize sempre que possível, deixe mais objetivo para os resultados de busca.

E, finalmente…

  1. Cadastre o nome do produto como é usado pelo mercado;

  2. Evite abreviações ou variações que não sejam usuais, ou que não fiquem claras para o público;

  3. Inclua o produto em mais de uma categoria que faça sentido para o produto;

  4. Crie filtros das características mais relevantes e garanta que todos os produtos da mesma categoria estejam cadastrados nos mesmos filtros.

Passos para criar categorias:

  1. Pense nos produtos e separe em grandes grupos;

  2. Veja como as lojas referências no mercado estão organizando as categorias;

  3. Peça ajuda para pessoas de diferentes áreas para colaborar nessa organização;

  4. Na hora de nomear as categorias, use o mesmo nome que as pessoas usam nas pesquisas.

Em resumo, conforme ilustra a imagem abaixo, tudo começa com a visibilidade de compra, ou seja, um cadastro de produto feito de modo a ser facilmente identificado pelos buscadores, como o Google.

Em seguida vem a disponibilização de informações do produto, corretas e completas para o visitante da loja. A inspiração para a compra vem através da compreensão sobre os benefícios e características do produto. E, finalmente, no topo desta pirâmide, vem a satisfação com o recebimento de um produto que corresponde às informações e imagens que foram exibidas na loja virtual.

Então, você achou úteis as informações que transmitimos com este conteúdo?

Qualquer dúvida consulte um de nossos especialistas.

LEIA TAMBÉM

Comentários


bottom of page