top of page

O que é e-commerce? Confira nosso glossário de lojas virtuais!

Especialmente após a quarentena de COVID-19, as lojas virtuais começaram a ter uma força muito grande. No entanto, muitas pessoas nunca tiveram contato com esse tipo de negócio antes e não sabem o que é e-commerce e quais são os tipos existentes.

Assim como há variados comércios físicos, é possível encontrar uma série de termos atrelados aos tipos de e-commerce. Se você quer conhecê-los, continue a leitura! A ComSchool preparou um conteúdo completo para quem busca navegar nesse universo facilmente!

O e-commerce original

Para conhecer os tipos, é preciso entender o que é e-commerce. Sigla para “electronic commerce” ou comércio eletrônico, em português, o termo descreve a compra e a venda de produtos ou serviços por meio da internet.

Por mais recente que pareça, a história das vendas pela internet começa há mais de 50 anos, nos Estados Unidos. Na década de 60, comerciantes passaram a utilizar o sistema de troca de documentos eletrônicos, EDI, para receber solicitações de clientes.

Com elas, os lojistas podiam reservar ou encomendar o produto para o comprador sem qualquer contato físico. A partir dessa troca, novas ferramentas on-line foram criadas até o surgimento de nomes que dominam o mercado mundial, como a Amazon e o eBay.

No Brasil, a história do e-commerce é mais recente. Em 1996, alguns comércios já começaram a dispor o catálogo das lojas na internet. Contudo, o formato só se popularizou com a chegada do Submarino, em 1999.

Tipos de e-commerce

Por mais direta que pareça ser, a pergunta “o que é e-commerce?” vai muito além do que a maioria das pessoas imagina. Isso porque existem diversos tipos de uso do comércio eletrônico, como veremos a seguir.

S-commerce

O termo s-commerce significa “social commerce” ou “comércio social”. Ele é utilizado para caracterizar as vendas realizadas por interações de clientes com marcas presentes nas redes sociais.

F-commerce

São as vendas realizadas por intermédio do Facebook. O f-commerce faz referência às compras ou às contratações de serviços depois que um usuário é impactado pela comunicação de uma marca na plataforma. O termo também pode ser utilizado para classificar situações onde o cliente realiza a transação no próprio marketplace da rede social.

I-commerce

Um tipo mais recente de e-commerce é o i-commerce (“Instagram commerce”). No começo de 2019, a plataforma habilitou uma função de checkout no aplicativo. Agora, os usuários que se interessam por produtos listados na timeline podem adquiri-los sem deixar o ambiente.

M-commerce

São as vendas realizadas por meio de dispositivos móveis, como smartphones ou tablets. O processo é conhecido como “mobile commerce”, por isso a sigla. Em português, traduz-se de forma literal para “comércio móvel”.

T-commerce

Outra variação das classificações que partem da plataforma utilizada na hora da compra é o t-commerce. A sigla é utilizada para se referir ao “TV commerce”, que oferece lojas virtuais acessadas por meio das smart TVs.

V-Commerce

Com a popularização dos assistentes pessoais, como Siri, do iOS, e Google Duplex, as pessoas fazem busca por voz cada vez mais. A vantagem é que elas geram resultados de produtos ou serviços que podem ser comprados com comandos simples. Esse cenário favorece o conceito de voice commerce.

B-commerce

Por fim, outro tipo de e-commerce popular é o b-commerce. Ele é utilizado para identificar os processos de compra que partem de plataformas de blog, como o WordPress (“blog commerce”).

Modelos de negócio digital

Além das vantagens do e-commerce oferecidas pelas diferentes modalidades, uma variável importante, que deve ser considerada, são os modelos de negócio digital. Além dos tradicionais B2B e B2C, existem outros relevantes no cenário.

B2B (Business to Business)

São negócios realizados entre empresas. A venda B2B é conhecida como corporativa. Então, representa quando uma empresa fornece um produto a outra instituição, que faz a distribuição para o consumidor final, por exemplo.

B2C (Business to Consumer)

São transações entre companhias e clientes. É o modelo onde uma loja vende um produto diretamente para o consumidor final, sem a necessidade de qualquer intermediário.

C2C (Consumer to Consumer)

O C2C é o tipo de e-commerce onde uma pessoa física oferta seus serviços diretamente para outra. Há algumas opções de plataformas disponíveis no mercado, como marketplaces ou sites de classificados on-line.

B2E (Business to Employee)

É o modelo em que uma indústria vende os produtos diretamente para os colaboradores. Normalmente, esse tipo de negócio oferece condições diferenciadas para todos os envolvidos.

B2G ou B2A (Business to Government ou Business to Administration)

São negócios entre empresas e governo. Um bom exemplo para ilustrar essa opção é quando uma companhia vende um produto ou um serviço diretamente para um órgão público.

Saiba tudo sobre lojas virtuais com a ComSchool!

Agora que você já entende o que é e-commerce, vai adorar saber que é possível montar o seu! Descubra tudo o que você precisa para criar um negócio virtual com os cursos que disponibilizamos aqui, na ComSchool.

Comentarios


bottom of page